Cristianismo

Vida ordinária, porém abundante

13 de abril de 2015

Leia em 4 minutos

pessoa-orandoTomados por uma vida sem grandes momentos extraordinários, é comum esquecermos ou nem sequer notarmos aquelas ocasiões que são de fato relevantes. Consequentemente, somos tentados a esquecer de agradecer, a automatizar nossas orações ou ignorar aqueles que estão ao nosso lado. Se todos nós entendêssemos que é na quietude de um dia ordinário que Deus se manifesta, seríamos muito mais felizes e realizados espiritualmente.

Certamente é possível afirmar que a vida da imensa maioria de nós é repleta de regularidade. Há rotina: hora de acordar, de dormir, de estar no trabalho ou na escola. Há tempo para tudo debaixo do céu, tudo tem seu tempo determinado (Eclesiastes 3:1). Daquilo que tenho observado, parece que muitos se envolvem em diversos problemas por querer fugir da regularidade, buscando de forma irrefletida uma experiência fora do comum. Não há problema algum com a rotina e a regularidade, assim como não há problema algum em buscar, com a orientação do Senhor, experiências que fogem do costumeiro. Mais do que dez anos a mil, como já escreveu alguém, o importante é saber observar os momentos oportunos.

Há momentos de grande relevância na vida de todos nós. São as ocasiões de mudança, onde decisões e ações podem mudar a sua vida e a das pessoas ao seu redor. Tente fazer um exercício mental e elencar quais os momentos mais marcantes de sua vida, aqueles que fizeram grande diferença. Provavelmente, as decisões que conduziram você a alguns desses momentos, e depois a uma ação fundamental e importante, tenham ocorrido na regularidade de um dia corriqueiro. Atos ordinários podem proporcionar experiências extraordinárias.

Muitos acreditam que essas ocasiões são provocadas pelo acaso, como se ele fosse nos proteger enquanto andamos distraídos. Não penso que seja dessa forma. Como cristão, creio que Deus é soberano e que nem mesmo uma ave cai do céu sem que Ele permita (Mateus 10:29). Tenho a tendência de ver essas situações como providência divina, pedindo para que tomemos uma atitude.

A Bíblia nos fala que Jesus veio para que tenhamos uma vida plena, abundante (João 10:10). Abundância aqui não deve ser compreendida como dinheiro e riqueza. Nosso tesouro está no céu e não na prata e no ouro (Mateus 6:19-21). A abundância que o Senhor quer nos dar transcende isso, tem a ver com amor, paz de espírito, humildade, justiça, misericórdia, pureza, mansidão e domínio próprio. (Mateus 5:3-11; Gálatas 5:22-23). Essa plenitude revela-se no dia-a-dia.

É no cotidiano, numa vida regular e ordinária, que acontecem e acontecerão coisas fenomenais conosco. O desafio é perceber quando nossa decisão e ação serão necessárias. Uma forma, talvez a única e com certeza a mais segura, de notarmos o mover de Deus em nossas vidas é inserindo em nosso dia-a-dia, na regularidade de nossos tempos e horários, um momento de comunhão com o Senhor e com Sua palavra. Alguns minutinhos todo dia para meditarmos na Bíblia e para abrirmos nosso coração ao Pai, muitas vezes agradecendo porque Ele intervêm numa vida tão sem importância como a nossa para que Seus desígnios sejam cumpridos e nós possamos alcançar a plenitude.

Veja também

Seja o primeiro a comentar

Comente aqui