Cristianismo

O nascimento do Ancião de Dias, por John Piper

22 de dezembro de 2015

Leia em 2 minutos

arvore-de-natal-estilizadaQuebro o hábito de publicar no blog aos domingos e venho hoje, terça-feira, 22 de dezembro de 2016, compartilhar um texto do pastor John Piper (tradução nossa) sobre o maior mistério e o maior presente já recebido pela humanidade: “O verbo se fez carne e habitou entre nós” (João 1:14).

Acho que esta breve reflexão é apropriada para o Natal. Feliz Natal e um 2016 na companhia do Senhor

————

“Então, você é rei!”, disse Pilatos. Jesus respondeu: “Tu dizes que sou rei. De fato, por esta razão nasci e para isto vim ao mundo: para testemunhar da verdade. Todos os que são da verdade me ouvem” João 18:37.

Este é um grande texto de Natal, embora trate do fim da vida de Jesus na terra, não do início.

A singularidade de seu nascimento é que Cristo não se originou no dia em que nasceu. Ele existia antes de ter nascido em uma manjedoura. A pessoa, o caráter, a personalidade de Jesus de Nazaré existia antes do homem Jesus de Nazaré nascer.

A palavra teológica para descrever esse mistério não é criação, mas encarnação. A pessoa, não o corpo, mas suas características pessoais essenciais existiam antes de ele nascer como homem. Seu nascimento não foi a origem de uma nova pessoa, mas a vinda ao mundo de uma pessoa infinitamente antiga.

Miquéias 5:2 coloca isso dessa forma, 700 anos antes de Jesus nascer:

“Mas tu, Belém-Efrata, embora pequena entre os clãs de Judá, de ti virá para mim aquele que será o governante sobre Israel. Suas origens estão no passado distante, em tempos antigos”.

O mistério do nascimento de Jesus não é apenas que ele nasceu de uma virgem. Esse milagre foi intencionado por Deus para testemunhar um ainda maior – isto é, a criança que nasceu no Natal era uma pessoa que existia desde um “passado distante”, desde ” tempos antigos”.

Texto original: The Birth of the Ancient of Days

Veja também

Seja o primeiro a comentar

Comente aqui