Vida profissional

Segurança é função do Estado e necessidade das empresas

5 de março de 2017

Leia em 2 minutos

Polícia de SP - SegurançaCom a crise no Espírito Santo e a revogação do Estatuto do Desarmamento de volta à pauta, convém lembrar a importância da segurança pública para a população em geral e para as empresas de maneira particular.

A função primordial do Estado, antes de qualquer outra, é a segurança. A garantia da paz civil e da proteção contra agressões de nações estrangeiras está na origem daquilo que chamamos Estado. Os primeiros reis e senhores feudais surgiram porque conseguiam montar exércitos e oferecer proteção a camponeses e súditos. Além disso, o poder de polícia garante que a lei seja aplicada. Garante que ninguém faça o que bem quiser, criando uma sociedade sem lei e cheia de violência.

Quantos negócios sequer iniciaram por medo de assalto? Quantas empresas adotam formas de pagamento considerando a possibilidade de ter sua loja roubada? O uso de cartão é conveniente em termos de portabilidade, mas também é uma maneira segura de carregar dinheiro para os lugares que frequentamos. Quantos empresários trocam o aluguel barato de uma loja de rua pela cara locação de uma loja de shopping por causa da segurança? Quantas empresas deixam de investir em bairros inseguros, mas com um público consumidor potencial relevante?

Quanto dinheiro se perde na economia? Quantos empregos deixam de ser gerados? Quantas necessidades deixam de ser atendidas?

Os empresários e seus empregados precisam de segurança física a fim de eficientemente se prevenirem de assaltos e assassinatos. A polícia deve agir de maneira equilibrada, eficiente e ostensiva para prevenir os crimes, em especial os crimes de rua ou de oportunidade. O sistema legislativo e judiciário precisa funcionar e punir os marginais e delinquentes, levando-os às penas devidas e, quando necessário, ao encarceramento.

O Estado surgiu para isso: garantir a integridade física dos que vivem sob sua guarda. Todo o restante é acessório, saúde e educação incluídos.

Imagem: Governo do Estado de SP

Veja também

Seja o primeiro a comentar

Comente aqui