Vida profissional

Redes sociais e o exercício da prudência

1 de outubro de 2017

Leia em 2 minute

Conjunto de ícones de redes sociaisEm tempos de interação digital acelerada, as pessoas estão cada vez mais à vontade para expor suas opiniões, reflexões e anseios sobre o passado, o presente e o futuro. Neste contexto, surgem comentaristas de política de Facebook, articulistas de 140 caracteres no Twitter e fotojornalistas de Instagram. Alguns conteúdos são, de fato, profundos e de alto nível. A maioria, contudo, é rasa e imprecisa. Se você quer estar entre a minoria que produz conteúdos relevantes, recomendo o exercício da prudência.

Tenha prudência ao emitir uma opinião

O gráfico abaixo foi retirado do Twitter do Átila Iamarino, que mantém o canal Nerdologia no Youtube, e reflete aquele momento correto em que você deveria se aventurar a emitir uma opinião sobre alguma questão ou fato.

Efeito Dunning-Kruger

Infelizmente alguns de nós são levados pela pressa, pelo calor do momento, por não “perder a vibe” e a repercussão, e comentamos sem pesquisar o suficiente e estar inteirados dos fatos. O Facebook virou a terra da ignorância, um deserto de conhecimento e informação.

Exerça a prudência. Cuide para não emitir opiniões apressada e aceleradamente. Aja com moderação nas redes, ouça mais e fale menos. Aprenda a observar e, sobretudo, tenha paciência. Às vezes o próprio tempo se encarrega de apresentar (ou não) evidências mais contundentes daquilo que temos tanta certeza num primeiro momento.

Quando temos pressa, há tendência à imprudência e imprecisão. Isso revela descuido e mostra que você sequer sabe do que está falando. Cerque-se o máximo possível de dados precisos a partir de meios de informações diversos. Abordei esse assunto quando recomendei que se aprendesse a ler além da manchete.

Acho que o conselho que coloquei neste post faz sentido. O que você acha?

Imagem: Avanti!

Veja também

Seja o primeiro a comentar

Comente aqui